ASSESSORIA COLETIVA PARA SISTEMATIZAÇÃO DE PRÁTICAS SOCIAIS

Cabeçalho
CASA7_avatar
um convite para quem quer sistematizar experiências sociais, como forma de aprimorar a prática, refletir e disseminar a experiência, bem como construir referências para outras iniciativas

Nessa iniciativa ofereceremos uma assessoria para profissionais de Institutos, Fundações, empresas, ONGs e demais interessados em sistematizar experiências sociais (experiências, programas, projetos, organizações). A ideia é que em grupo, profissionais originários de organizações distintas possam sistematizar suas práticas por meio de uma metodologia onde construirão o projetos de sistematização de suas práticas e realizarão suas etapas. A assessoria contará com acompanhamento individual do desenvolvimento de cada projeto e com espaço grupal de formação e troca de experiências. Ao final do processo cada organização terá sua experiência sistematizada.

Por que sistematizar a prática?

As iniciativas sociais constituem um grande esforço da sociedade para atingir uma forma de desenvolvimento mais justa e sustentável. No entanto, em parte dessas iniciativas as aprendizagens não são reconhecidas e cada organização acaba começando muitas vezes do zero, mesmo havendo uma infinidade de experiências anteriores que poderiam favorecer reflexões e tomadas de decisões sobre que caminhos percorrer, que cuidados se fazem necessários e que ações já resultaram em impactos positivos em dado contexto. A sistematização está aqui compreendida como um processo permanente e inter-relacionado de produção de conhecimento a partir da experiência concreta. Para tanto, os envolvidos na implementação da experiência participam diretamente da reflexão sobre os seus caminhos metodológicos, processos, conteúdos e aprendizagens, ou seja, produzem um conhecimento prático capaz de aprimorar as ações, construir referências para outros atores e ampliar o impacto da intervenção.

Sugestão de leitura: Uma Oitava da Prática.

O que os participantes aprenderão?

Ao longo do processo, exercitaremos competências em sistematização para que os profissionais:

  • Reflitam sobre a importância da aprendizagem nas organizações e na sociedade
  • Compreendam a sistematização como um processo de construção de conhecimento sobre e a partir da prática social
  • Conheçam e pratiquem os procedimentos da sistematização de experiências
  • Exercitem o processo de reflexão sobre a prática
  • Construam/acompanhem/realizem projetos de sistematização nas suas organizações
  • Disseminem o conhecimento derivado de suas práticas
Como vai ser?

Trabalharemos juntos entre julho e dezembro em um caminho individual e grupal. Teremos encontros coletivos mensais de formação e orientação prática, nos quais os participantes conhecerão os passos do processo de sistematização e planejarão seu trabalho prático. Após cada encontro, os participantes realizarão as atividades de pesquisa, reflexão e produção planejadas. Essas atividades serão dimensionadas por cada um, de acordo com sua intencionalidade com o processo de sistematização e sua disponibilidade, e serão acompanhadas por nós por meio de leitura das produções e devolutivas em reuniões individuais presenciais ou virtuais. Os participantes também terão a oportunidade de trocar experiências entre si e aprenderem a partir da prática dos demais por meio de espaços planejados de troca e altervisão.  Segue abaixo um pouco dos conteúdos e passos que constituem o fio do nosso processo:

Etapas

 Quando vai ser?

O processo acontecerá entre julho e dezembro de 2018. Os encontros coletivos acontecerão sempre às quintas-feiras, das 14h às 19h, na CASA7, nas seguintes datas:

  • 26 de julho
  • 23 de agosto
  • 20 de setembro
  • 18 de outubro
  • 8 de novembro

A CASA7 fica na rua Apinajés, 2032, em São Paulo, próximo ao metrô Vila Madalena. 

Quem pode participar?

Todos os interessados em sistematizar alguma prática social podem participar. Vale destacar que pensamos esse projeto, especialmente, para organizações sociais, institutos, fundações e escolas que queiram sistematizar alguma experiência e investir na formação de um de seus profissionais para fazê-lo ou ainda que não teriam possibilidade de investir em um processo de consultoria ou assessoria exclusiva. Como os participantes farão, na prática, a sistematização, é importante ressaltar que o interesse e habilidade para atividades de leitura, pesquisa e redação serão muito valiosos para o processo.

Qual o investimento?

O processo conta com investimento total de R$8.000,00 para cada participante, que incluem horas de formação e acompanhamento, custos operacionais para os encontros e reuniões e demais custos administrativos. Esse valor pode ser dividido em até 6 parcelas de R$1.340,00. Estimamos que entre a formação e o acompanhamento individual, os participantes receberão 14 horas de assessoria da CASA7 mensais e devem investir ainda 18 horas mensais de pesquisa e produção individual, o que somará, 32 horas mensais de dedicação ao processo de sistematização de sua experiência.

Quem somos nós?logoFINAL_transp                                                                                                          

A CASA7 – Memórias e Aprendizagens da Prática Social é uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2006, com a missão de contribuir para o fortalecimento da prática social e de seus atores pela via da valorização e articulação das memórias, aprendizagens e conhecimentos que dela derivam.

Entre os seus objetivos e ações estão: o estímulo ao desenvolvimento de uma cultura de registro e sistematização de aprendizagens e conhecimentos derivados da prática social; o desenvolvimento e implantação de metodologias que qualifiquem as práticas sociais; a formação de atores sociais para a criação de contextos favoráveis à produção e disseminação do conhecimento a partir da prática; a realização de processos de resgate de memórias coletivas; diagnóstico social; avaliação e sistematização de experiências; articulação do conhecimento prático entre diferentes atores.


Cristina Meirelles

Socióloga graduada na Universidade de Paris I Sorbone e Mestre em educação pela PUC-SP, desenvolve trabalhos na área social e educacional desde 1990, quando atuou em projetos de desenvolvimento comunitário e de instituições educativas junto a organizações públicas e privadas em São Paulo e como formadora de gestores e educadores de organizações atuantes na periferia das cidades. Atuou como analista de projetos para a VITAE e gerenciou por sete anos os programas e projetos da Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança. Desde 2002 é consultora de processos, planejamento, avaliação e sistematização, realizando pesquisas e publicações junto ONGs, governos, fundações empresarias ou agências multilaterais. É diretora presidente e fundadora da CASA7 – Memórias e Aprendizagens, uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2006, com o objetivo de contribuir para o fortalecimento da prática social pela via da produção e articulação do conhecimento que dela deriva.

Carla Cabrera Duarte

Formada em administração de empresas pela PUC-SP e em Coordenação de Grupos Operativos pelo Instituto Pichon Rivière. Estudou também a abordagem goetheana para o campo do desenvolvimento no Programa Artistas do Invisível, do Proteus Initiative e Instituto Fonte. Desde 2000 atua na área social: trabalhou no Instituto Pró-Ação pela Cidadania Jovem, uma organização de jovens que atuava com fomento e apoio a participação juvenil. Co-fundou a ONG Aracati, Agência de Mobilização Social, onde foi diretora de projetos e desenvolveu iniciativas de formação de jovens e de mobilização social. Trabalhou no IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social como gerente de projetos com famílias e empresas e no Instituto Geração, em projetos de apoio a atuação social da nova geração da elite econômica brasileira e nos processos de desenvolvimento organizacional.

Desde 2013 atua como consultora no desenvolvimento de pessoas, grupos e organizações pela noetá, empresa da qual é sócia e associada a outras organizações como a CASA7 – Memórias e Aprendizagens. Pretende com seu trabalho promover a reflexão, aprendizagem e reorganização da prática, lançando mão de processos de formação, diagnóstico, sistematização e planejamento.


Como participar?

Para participar basta preencher a ficha de inscrição, efetuar o pagamento e acordar com o Termo de Compromisso e Regulamento. Se está em dúvida e quiser saber mais de como será o processo, podemos conversar e contar mais! Mande um e-mail para espacodeformacao@casa7.org.br para fazer seu contato.