9. Nova União da Arte (NUA)

Maria José Coutinho

Contexto

O Instituto Nova União da Arte (NUA) está situado na Zona Leste de São Paulo. Uma região de classe baixa, urbanizada há cinco anos e com mais de 40 mil famílias. Por acreditar na importância da educação por meio da arte, o instituto NUA criou vários projetos beneficiando a comunidade, onde as crianças e adolescentes expressam o desejo de brincar – brincadeira transformada pelos educadores em linguagens das artes como: pintura, teatro, cinema, dança e cartografia. Todos os projetos que o instituto NUA desenvolve para a criança e o adolescente tem o propósito de formar jovens cidadãos críticos, conscientes e contribuintes na transformação da realidade à sua volta.

A Cartografia

Dentro da cartografia as crianças e adolescentes são levadas a conhecer o bairro através do mapa da cidade e procuram, pelo conhecimento, traçar novas linhas para a localização de alguns pontos do bairro e seu entorno.

Aprendizagem

Chegar um lugar desconhecido utilizando um mapa ou abrir o guia de ruas para traçar um bom caminho é uma tortura para muita gente. Embora essas ações pareçam banais, realizá-las com desenvoltura envolve uma série de conhecimentos que só são adquiridos num processo de alfabetização diferente. Não envolve letras, palavras ou pontuação, mas linhas, cores e formas. É a aprendizagem da linguagem cartográfica.

Dentro do Projeto de CCA os educadores criaram a cartografia para informar a criança e o adolescente por meio de um conjunto harmonioso de símbolos, letras e cores de forma de modo a que a mensagem seja entendida com facilidade: todo o contexto do bairro como ruas, avenidas, becos, vielas etc.

A descrição da prática

O primeiro momento foi planejar o trabalho de cartografia. Os educadores começaram a perguntar os nomes de ruas e avenidas do bairro para as crianças e adolescentes e, partindo de seus conhecimentos, a proposta foi conhecer um mapa e descobrir as linhas, cores e símbolos existentes no mesmo e o seu significado. Após isso foi dada a atividade, em grupo, para o estudo sobre o mapa do bairro onde estão inseridos. Posteriormente o estudo foi ampliado para o mapa da cidade de São Paulo, do Brasil e do mundo. Foi discutido que os mapas cartográficos auxiliam na agricultura, previsão do tempo, construção de rodovias, aviação, planejamento ambiental e em vários sistemas de orientação que usamos no dia a dia. Esta ciência também é muito importante para o estudo de diversas áreas da Geografia.

Etapas de desenvolvimento

Primeira etapa: identificar o espaço

Para analisar o conhecimento da criança e do adolescente a respeito do tema, foram oferecidos alguns materiais como revistas, jornais, livros de geografia e mapas para que os mesmos pudessem identificar, ler, interpretar e apresentar espaços físicos conhecidos como a escola, posto de saúde e o bairro. Os educandos recortaram imagens que consideravam semelhantes á determinados trechos da região e coloram em uma folha sulfite de forma que aos poucos fossem criando um mapa partindo da sua observação.

Segunda etapa: Brincadeiras / Vencer e Perder

Continuando com a atividade os educadores propuseram para as crianças e adolescentes brincadeiras relacionadas à cartografia como a descoberta da mina por meio de mapa com desenhos que levasse até o destino final. Esta brincadeira mostrou a importância de vencer e perder, sinalizando-lhes o ensinamento da competividade e disputa do conhecimento com lealdade sem prejudicar o próximo. Também foram desafiados a problematizar, pesquisar, refletir e solucionar os problemas.

Terceira etapa: identificar-se no espaço

Foram entregues às crianças e adolescentes pedaços de giz e pedido para que desenhassem no chão o percurso percorrido entre sua casa até o CCA. Cada um, na sua peculiaridade, relatou o caminho que faz em forma de mapa (traços).  Descobriram, por meio da atividade, que algumas ruas carecem de cuidados como: limpar o lixo, o córrego e que alguns terrenos precisam ser carpidos e mesmo cercados para que as pessoas não utilizem o espaço para uso de coisas indevidas. Esta atividade, como as outras, proporcionou o reconhecimento da comunidade na qual estão inseridos.

Quarta etapa: Observação

Antes foi realizada uma roda de conversa e depois saíram para observar a região, levando folhas e lápis para anotação necessária. Os educadores e os educandos perceberam a problemática do bairro que é a grande quantidade de lixo existente nas ruas, nos córregos e terrenos abandonados. Aproveitando o momento, os educadores falaram sobre o lixo e o problema que o mesmo ocasiona para o meio ambiente. Todos ficaram atentos sobre essa questão e desenharam sobre o que viram na sua comunidade. Também, sobre essa observação, formou-se uma discussão sobre a consequência que o lixo traz para a vida das pessoas e como ajudar a conscientizar a comunidade a colocar o lixo no lixo.

Quinta etapa: Melhorias

Após o registro de observação as crianças, os adolescentes e os educadores conversaram sobre os pontos positivos e negativos da região. Um dos educandos comenta que seu pai está ajudando na construção de um parque, logo outros educandos falaram a respeito desse parque e que a comunidade tem participado ativamente da sua construção. Este parque ficará a uma quadra da instituição, o que favorecerá o lazer das crianças e dos adolescentes do CCA.

Os educandos foram separados em dois grupos e saíram para observar o trabalho da comunidade no parque. Todos refletiram sobre o fazer a diferença, pois se cada um fizer a sua parte na região, mesmo que pareça pequeno o resultado, com o tempo aparecerá.

Foi registrado um momento no qual a comunidade participa da construção do parque.

Aprendizagens

Eu, Maria José, acompanhei as crianças e adolescentes nessas atividades e pude observar o quanto elas se sentem importantes fazendo parte de um trabalho que os levam a pensar como resolver essa situação.

Claro que essa atividade será feita sempre e tenho certeza que cada vez que a desenvolver, sempre terá um resultado positivo, diferente da primeira ou segunda vez. Os olhares se ampliam e as crianças e adolescentes, dentro do bairro, têm muito material para trabalhar e descobrir, juntamente com os educadores, formas de poder ajudar a melhorar a comunidade. Este trabalho, com certeza, terá um grande significado em suas vidas, porque estamos os direcionando a praticar o exercício da cidadania.

Deixe seu comentário